sexta-feira, 27 de maio de 2011

O CRISTÃO TAMBÉM É CIDADÃO!

Somos membros do corpo de Cristo, não pertencemos a esta terra, somos cidadãos dos céus. Mas, apesar disto, vivemos neste mundo e portanto temos direitos e deveres a cumprir. Isto significa que seguimos as regras a nós impostas, mas também podemos exigir que nossos direitos sejam respeitados, isto tudo, visando o bem da sociedade em geral.

Como Cristãos, temos que influenciar  as pessoas, através do evangelho de Cristo, que as leva a salvação. A nossa luta não é carnal, é espiritual. Como cidadão podemos cobrar o Estado para que nossos direitos e da nossa família sejam respeitados. Isto envolve manter um padrão moral digno de quem serve a Deus.

Tenho visto em muitos blogs evangélicos, inclusive neste, discussões sobre as questões homossexuais.  O assunto está em alta. Só se fala de Kit Gay, PL 122, União Homoafetiva entre outras. Vejo também, que não existe entre nós cristãos, uma posição unânime  e tenho me preocupado.

Muitos invocam o amor ao próximo para justificar a sua não condenação do pecado homossexual. Invocam também o Estado Laico, ou seja, sem religião. A separação da Igreja e o Estado, também são pontos que muitos blogueiros levam em consideração,  discordando da movimentação dos evangélicos contra as leis que estão sendo criadas.

Tenho visto muitos confundindo amor com indiferença. Não podemos ficar em cima do muro! Dizemos que a igreja não deve se misturar em política. Isto é verdade! Mas, constantemente o Estado  intromete-se em assuntos que dizem respeito a igreja. Amar ao próximo não é passar a mão na cabeça. É mostrar seu pecado e falar da misericórdia de Deus. Ele ama ao pecador, Ele quer que todos se salvem, mas o pecado Deus abomina. Você deixa seu filho entrar em casa cheio de lama? Não, primeiro ele se lava, não é? Deus também é assim. O pecado é como lama para Deus.

A igreja como Corpo de Cristo não deve utilizar-se de favores de políticos ou de influência para benefício próprio. Mas, nós enquanto cristãos, somos  cidadãos e zelamos por aquilo que sabemos ser o o correto.  Quando aceitamos, por exemplo, que os homossexuais tenham direito a união homoafetiva, será que não estamos compactuando com o seu erro, ou o seu pecado? Que amor ao próximo é este que abre abismos cada dia maiores? Que amor é este que não condena o erro, mas abre brechas para as pessoas afundarem mais e mais? Que amor é este que diz a pessoa: Você está errado mas nós vamos aceitar e ainda vamos te beneficiar. É como se o ladrão entrasse para roubar a sua casa e você em nome do amor, desse a escritura da residência para ele morar lá.

Nós cristãos servimos a um Deus amoroso, misericordioso, mas que corrige a quem Ele ama. Não sou a favor de violência, radicalismo, preconceito ou qualquer coisa do gênero, seja contra quem for. Mas sou a favor deste amor bíblico que leva ao arrependimento. Não deixemos nosso direito de cidadãos em nome de um amor destrutivo.  Exerçamos o amor com correção que leva a salvação.

"Ai dos que decretam leis injustas, e dos escrivães que escrevem perversidades;"
(Isaías 10:1-2)


Sem mais, fiquem na Paz!

Leia também:

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...