QUAL O FUTURO DE NOSSAS CRIANÇAS? PARTE 2 - BULLYNG

Resolvi escrever sobre bullyng pois tenho visto muitas reportagens sobre o assunto e o quanto ele tem crescido e causado muitos transtornos para crianças.  adolescentes e jovens, inclusive muitos têm tirado a própria vida por não suportarem este tipo de pressão. O problema precisa ser tratado como social, mas nós sabemos que por trás disto existe uma atuação maligna muito grande. O Diabo desde o início tenta destruir o homem criado por Deus. A família tem sido alvo constante dos seus ataques, e as crianças também. Sabemos que a família é a base da sociedade, se não houver familia a sociedade se destrói. E quem constitui as famílias de amanhã? São as crianças que hoje!


A palavra inglesa bullying ainda não tem uma tradução para o português, mas significa valentão, brigão, ameaça ou intimidação e embora seja ainda pouco conhecida, refere-se a uma prática freqüente entre crianças, adolescentes e até jovens nas escolas. Trata-se de ameaças fisícas ou verbais repetitivas contra uma ou mais pessoas, feitas também por uma ou mais pessoas. Não está restrito ao sexo masculino, as meninas também são alvos. Um exemplo disto é que muitas meninas tem buscado até cirurgia de redução de estomago para emagrecerem e aumentarem a auto-estima e para não serem alvo de brincadeiras de suas amigas ou amigos. Também tem crescido o chamado cyberbullyng, com o mesmo teor do bullyng, mas praticado através de rede sociais e com maior abrangência por se disseminar muito rápido.   Algumas ações estão sendo tomadas para combater estas práticas, inclusive existem projetos de Lei no Brasil que obrigam as escolas a tratarem o problema,  mas são poucas frente ao crescimento das agressões que presenciamos diariamente nos meios de comunicação.

Como já dissemos aqui, as crianças são o futuro da sociedade. Elas serão os adultos de amanhã, formarão famílias, ocuparão cargos nas empresas, serão os obreiros da Igreja. Mas que tipo de crescimento terão se desde pequenos sofrem agressões fisícas, moral, sexual entre outras? O bullyng é um reflexo dos valores deturpados que nossas crianças aprendem no seu dia a dia. Os que o praticam, são aqueles que tem os seu valores educativos baseados em jogos de videogame(tem até um jogo com nome de Bullyng), programas televisivos ou ainda, uma má formação no lar. Isto mesmo! Infelizmente, muitos adquirem este comportamento dentro de casa. Isto ocorre quando veem a falta de respeito entre seus pais, discussão constantes que terminam em agressão fisíca e outras coisas mais. Depois, vão para a escola com toda aquela carga emocional e descarregam nos colegas mais fracos causando um tremendo mal. Isto vai se tornando cada vez maior, como uma bola de neve, crescendo a cada dia.


A palavra de Deus é clara quando diz:  Educa a criança no caminho em que deve andar; e até quando envelhecer não se desviará dele. (Provérbios 22:6).  Quando ensinamos as nossas crianças a terem respeito pelo próximo e mostrarmos a elas que precisam respeitar os limites impostos, estamos dando a chance de serem adultos melhores, que também formem famílias melhores, estruturadas e abençoadas por Deus. Não podemos abrir mão da correção. Pais ausentes mediante a correria do dia a dia, costumam compensar seus filhos com falta de limites,ou seja, como passam o dia fora não  os corrigem quando estão juntos. Estas crianças poderão terem problemas para se adaptar ao limites na escola ou no convívio com o colegas. Isto pode ser uma brecha para que ela possa se tornar um autor do bullyng.

Mas, também tem o outro lado. Tem aquelas crianças que sofrem as agressões! São chamadas de alvos. Muitas acabam se isolando e guardando o sofrimento para sí.  Tenho visto também muitas crianças, filhos de pais cristãos, que por sua educação biblica e de respeito ao próximo são menosprezadas nas escolas se tornando alvos de perseguição por seus amigos e até professores. Precisamos estar preparados para isto. Tenho uma filha de onze anos que passou por esta situação e não é fácil. Conhecer os sinais de uma criança que está sofrendo bullyng é importante para ajuda-lá a lidar com a situação.

Veja alguns fatores que mostram que algo de errado está acontecendo com a criança ou adolescente:

  • Demonstrar falta de vontade de ir à escola.
  • Sentir-se mal perto da hora de sair de casa.
  • Pedir para trocar de escola.
  • Revelar medo de ir ou voltar da escola.
  • Pedir sempre para ser levado à escola.
  • Mudar freqüentemente o trajeto entre a casa e a escola.
  • Apresentar baixo rendimento escolar.
  • Voltar da escola, repetidamente, com roupas ou livros rasgados.
  • Chegar muitas vezes em casa com machucados inexplicáveis.
  • Tornar-se uma pessoa fechada, arredia.
  • Parecer angustiado, ansioso, deprimido.
  • Apresentar manifestações de baixa auto-estima.
  • Ter pesadelos freqüentes, chegando a gritar "socorro" ou "me deixa" durante o sono.
  • "Perder", repetidas vezes, seus pertences, seu dinheiro.
  • Pedir sempre mais dinheiro ou começar a tirar dinheiro da família.
  • Evitar falar sobre o que está acontecendo, ou dar desculpas pouco convincentes para tudo.
  • Tentar ou cometer suicídio.
É importante que os pais tenham uma relação aberta de diálogo com os filhos. As crianças precisam confiar em seus pais para ajudá-las nesta hora. Tudo o que seu filho conta precisa ser levado em consideração, não despreze ou ache que aquilo que ele falou é algo bobo e de pouca importância. Lembre-se: o bullying não é bobagem ou brincadeira de mau gosto, trata-se de agressão psicológica e muitas vezes física, que deixa marcas para toda uma vida.  Só o fato de ouvir a criança já é uma maneira de poder detectar o problema e tentar solucioná-lo.

Definitivamente incentivar a criança a ser violenta também não é uma forma de combater a situação. Em alguns casos crianças que sofrem o bullyng e reagem podem também se tornar um praticante dele. Recentemente um vídeo ficou muito famoso na internet sobre um menino chamado Casey Heynes que ficou conhecido como Zangief Kid (nome dado baseado em um jogo de videogame). Ele reagiu as constantes agressões que sofria na escola e foi muito elogiado por isto. Descobriram depois, inclusive sua família, que ele já havia até pensado em suícidio. A reação dele foi violenta e como eu já disse não é a forma de combater este mal.

Além de conversar bastante com as crianças temos mais algumas formas de tratar da questão:
  • as escolas precisam de um programa de prevenção e combate a este tipo de situação;
  • aqueles que são praticantes deste tipo de violência precisam ser corrigidos e tratados na causa;
  • ouvir sempre o que as crianças tem a dizer;
  • Observar o comportamento dos filhos, eles podem serem os alvos ou autores;
  • respeitar e amar o próximo deve ser o lema da família.
O extremo do sofrimento que o bullyng causa, como já vimos, pode levar ao suícidio. O único com interesse para destruir as crianças, adolescentes ou jovens é o Diabo. Ele está sempre procurando meios para nos destruir. Crianças com baixo rendimento, baixa estima, com problemas psicológicos podem estar dentro das igrejas também. Os professores na escola dominical precisam estar atentos e ajudar na orientação também.

Oremos continuamente por todas as crianças, os adolescentes e os jovens. Não podemos deixá-los de lado.
Eles precisam estar firmados na Rocha que é Cristo para enfrentarem todo tipo de luta que vem, sejam de ordem carnal ou espiritual. Que Deus abençoe a nós todos!


Sem mais fiquem, na Paz!