Pular para o conteúdo principal

A OPRESSÃO DAS NECESSIDADES

Foi-se o tempo em que as pessoas planejavam para adquirir algo. Poupar era um dos meios de se alcançar objetivos, como a compra de um determinado bem, por exemplo. A espera podia levar alguns anos, mas era aguardado pacientemente até conseguir. Hoje a situação é diferente. Crianças ou adultos não conseguem mais esperar, querem atender suas necessidades o mais breve possível. O crédito fácil, os parcelamentos, cartões e etc, possibilitam comprar os bens desejados de maneira rápida ainda que depois as divídas possam trazer inúmeras dificuldades.

Já se dizia em Economia que as necessidades humanas são ilimitadas e os recursos disponíveis limitados. Por isso mesmo surgem todos os dias novos produtos, alimentos, roupas e etc. Sabemos também que muitas empresas desenvolvem necessidades que não existem mas que serão criadas e assim consequentemente novos produtos surgirão.

Ainda que hoje são muitas as opções de produtos e a facilidade para comprar seja ampla, vemos muitas pessoas oprimidas por não conseguirem tudo o que desejam. Se analisarmos friamente, muitas destas necessidades não são assim tão "necessárias", ou seja, são passageiras, superficiais, não precisam serem supridas imediatamente. Mas, a vontade em possuir, ter, usar ou comer acaba falando mais alto. Isto  incomoda de uma tal maneira que enquanto não atendemos esta vontade sentimos raiva, frustração e muita infelicidade. Isto é a Opressão das Necessidades!

Muitos tem sido atingido por esta opressão. Ela faz com que a pessoa gaste boa parte da vida sempre querendo ter mais. Querer melhorar não é ruim, todos devemos tentar, mas não podemos deixar que este sentimento se torne um peso, um sofrimento. Esta procura tem atingido muitas igrejas, principalmente aquelas  que prometem bençãos materiais. Quando não encontram o que querem estas pessoas saem decepcionadas achando que Deus não quer atendê-las. Ora, Jesus sempre ensinou que a felicidade não tem a ver com o tanto de bens que alguém possui. Ele mesmo orientou para ajuntarmos tesouros nos céus e não na terra, pois aqui é corroído pela traça e ferrugem. Além do mais, tudo vai ficar por aqui quando nossa vida se findar.

Portanto, querido leitor, não faça dos seus objetivos ou desejos um peso para sua vida. Procure ajuntar com sabedoria e sem exageros. Não sinta-se pressionado se A ou B estão conseguindo melhorar de vida. Não se empolgue com as propagandas, pois a cada dia surgem novos produtos, tecnologias, carros e etc e nunca vamos conseguir acompanhar os lançamentos. Entregue tudo nas mãos de Deus que Ele te ajuda.

Lembre-se do que Jesus falou:


Por isso vos digo: Não andeis cuidadosos quanto à vossa vida, pelo que haveis de comer ou pelo que haveis de beber; nem quanto ao vosso corpo, pelo que haveis de vestir. Não é a vida mais do que o mantimento, e o corpo mais do que o vestuário?



Olhai para as aves do céu, que nem semeiam, nem segam, nem ajuntam em celeiros;
e vosso Pai celestial as alimenta. Não tendes vós muito mais valor do que elas?
E qual de vós poderá, com todos os seus cuidados, acrescentar um côvado à sua estatura?
E, quanto ao vestuário, por que andais solícitos? Olhai para os lírios do campo,
como eles crescem; não trabalham nem fiam;
E eu vos digo que nem mesmo Salomão, em toda a sua glória, se vestiu como qualquer deles.
Pois, se Deus assim veste a erva do campo, que hoje existe, e amanhã é lançada no forno, 
não vos vestirá muito mais a vós, homens de pouca fé?
Não andeis, pois, inquietos, dizendo: Que comeremos, ou que beberemos, 
ou com que nos vestiremos?
(Porque todas estas coisas os gentios procuram). De certo vosso Pai celestial bem sabe 
que necessitais de todas estas coisas;
Mas, buscai primeiro o reino de Deus, e a sua justiça, e todas estas coisas
vos serão acrescentadas.
Não vos inquieteis, pois, pelo dia amanhã, porque o dia de amanhã cuidará de si mesmo.
Basta a cada dia o seu mal.

(Mateus 6.25-34)

Sem mais, fiquem na Paz!



Postagens mais visitadas deste blog

O QUE EU FAÇO NÃO ENTENDES AGORA!

Pedro não estava entendendo o gesto de Jesus em lavar os pés dos discípulos e não queria aceitar aquela atitude do Mestre. Mas Jesus sabia o que estava fazendo e queria mostrar mostrar algo mais para eles.

“Respondeu-lhe Jesus: O que eu faço, tu não o sabes agora; mas depois o entenderás” (João 13.7)
Quando Jesus nos promete algo, a nossa ansiedade nos leva a querer saber o que irá acontecer, como Ele vai fazer, quando vai ocorrer. Não raramente acabamos por querer influenciar de alguma maneira. Buscamos situações que se encaixam naquilo que Ele prometeu. Se é benção material pensamos na origem do dinheiro, como virá, será que vou ganhar algum prêmio? Será que vou receber de alguém? Se é benção espiritual, achamos que acontecerá no dia em que vem um pregador de renome na igreja ou um irmão com dons espirituais. Quando não ocorre nestas ocasiões costumamos nos entristecer e desanimar e em casos mais extremos pensarmos que não ocorrerá mais.
Mas, não se preocupe! Em Isaías 55:9 está escrit…

PERDER PARA GANHAR!

Todo ser humano gosta de competir, mostrar força, inteligência e habilidade. Somos criados assim. Desde os primeiros anos escolares nos incentivam a sermos melhores na escola, nos jogos, nas brincadeiras. Na faculdade, somos levados a olhar nossos colegas de classe como concorrentes no mercado de trabalho e por isso precisamos ser melhor que eles e assim vai. Não aceitamos perder, temos que ganhar sempre.  Mas e quando a perda chega ? Como lidaremos com ela? Estamos preparados para perder?

Quando olhamos para a Igreja contemplamos muitos que permanecem na visão do ganhar sempre. Frequentam a igreja buscando conseguir carros, casas, bons salários, enfim, toda sorte de bençãos materiais.

Deus em sua infinita sabedoria não vê como o homem e consequentemente trabalha de maneira diferente.  O trabalhar de Deus na vida do homem envolve perdas. O o mais importante para Ele é a Salvação do ser humano.

"Pois, que aproveitaria ao homem ganhar todo o mundo e perder a sua alma?" Marcos …